1,5 toneladas de produtos irregulares são aprendidos na Dutra, em Itatiaia


A Operação Barreira Olímpica apreendeu 1,5 toneladas de produtos irregulares entre quarta e quinta-feira (27 e 28), no Posto de Nhangapi, no trecho da Via Dutra que corta Itatiaia — no Sul do Rio de Janeiro. Entre o material estavam perfumes, tênis e roupas sem nota fiscal, recolhidos durante fiscalizações a veículos de carga e de passeio. As peças foram localizadas através de um scanner móvel, de quase cinco metros de altura, que faz um "raio-X" nos veículos. O equipamento começou a ser utilizado na quarta-feira (27). Segundo a Secretaria de Estado de Fazenda, o objetivo do aparelho é reforçar a segurança pública durante os Jogos Olímpicos e ajudar a combater atos criminosos. "Esse projeto aqui é uma continuidade do trabalho que a gente já tem feito com a Receita Federal e vai fortalecer a integração entre o físico estadual e federal", explicou o subsecretário adjunto de Fiscalização do Rio de Janeiro, Rafael Ferraresso. Além de produtos piratas e irregulares, a utilização do scanner visa apreender drogas e armas. É um equipamento sofisticado, com grande investimento para proteger a divisa do estado. "Esse aqui [Nhangapi] é o maior posto fiscal do estado do Rio de Janeiro. Em média, passam por aqui 6 mil caminhões por dia, com picos de carga. Com a Receita Federal e o scanner, nós não só vamos parar caminhões, mas também ônibus e carros de passeio", disse o subsecretário de Projetos Especiais do Rio de Janeiro, Reynaldo Braga. De acordo com a Superintendência Regional da Receita Federal, a ideia é continuar com o uso do scanner após a Olimpíada.

A Operação Barreira Olímpica, é uma operação conjunta com Receita Federal do Brasil, Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz) e Secretaria de Estado de Governo (Segov).

Photo: Divulgação A Voz da Cidade

Leia mais em: G1