Prefeitura fecha “lojão” de bolsas falsificadas no centro

Prédio de três andares abrigava comércio e estoque de 60 000 produtos clandestinos.

A Subprefeitura da Sé interditou na manhã desta quinta-feira (8) um prédio de quatro andares, localizado na Rua 25 de Março, no centro, que funcionava como comércio e estoque de bolsas e mochilas clandestinas. Entre as marcas, destaque para Chanel, Arezzo, Adidas, Tommy Hilfiger e Schutz. Um modelito falsificado Chanel, cujo preço original pode custar mais de 10 000 reais, era vendido por 100.

Ao todo, a gestão Bruno Covas enviou mais de 120 agentes, entre guardas civis, fiscais e operários que carregarão os produtos. A ação ocorreu em parceria com representantes oficias das marcas, que mapearam o local e denunciaram o comércio irregular. “As bolsas são fabricadas em oficinas clandestinas espalhadas pela cidade, e o ponto funcionava, além de estoque e comércio, para que as etiquetas fossem colocadas nas bolsas. Nada era confeccionado aqui”, afirma o subprefeito da Sé, Eduardo Odloak, que estima em 60 000 o número de peças apreendidas. “Precisaremos de vinte a trinta caminhões para levar tudo embora”. Os donos do espaço não foram localizados e ninguém foi detido.

A mercadoria será enviada a um galpão municipal e os donos do estabelecimento têm trinta dias para apresentar a defesa. Depois disso, as bolsas poderão ser incineradas.

Fonte: https://vejasp.abril.com.br/blog/poder-sp/prefeitura-fecha-lojao-de-bolsas-falsificadas-no-centro/